Cartaz do documentário Joãosinho da Goméa, o Rei do candomblé, cineasta Rodrigo Dutra, Cineclube Mate Com Angu
JOÃOSINHO DA GOMÉA
Novembro de 2020

O filme apresenta Joãosinho da Goméa como narrador principal de sua história.  Com músicas cantadas por ele, performances provocadoras e arquivos diversos que ressaltam o quanto ele foi e é importante para as religiões de matriz africana. A Rainha Elizabeth II disse que se o candomblé tivesse um rei, esse seria Joãosinho da Goméa, o Rei do Candomblé.

Documentário Armanda, Armanda Álvaro Alberto educadora, cineasta Rodrigo Dutra, cineclube Mate Com Angu
ARMANDA
Maio de 2017

Armanda Álvaro Alberto foi uma professora e intelectual brasileira precursora do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova.  Feminista, fundou a União Feminina do Brasil (UFB) e foi presa pelo governo de Vargas. Influenciada pelas ideias de Montessori criou a Escola Regional de Meriti, sendo o primeiro colégio brasileiro a servir alimentação para os estudantes: o famoso mate com angu.

solano trindade, cineasta rodrigo dutra, o vento forte do levante
O VENTO FORTE DO LEVANTE
Julho de 2011

Solano Trindade não se curvou diante da opressão de cor, de classe e de cultura. Poeta e militante comunista nasceu em Pernambuco morou em Caxias e Embu das Artes, como descreve em seus versos andou diariamente no "trem sujo da Leopoldina" que tem um "freio de ar todo autoritário", assim como os motivos que levaram Vargas a ordenar sua prisão.

Documentário TV Olho, sobre a primeira Tv comunitária do Brasil, cineasta Rodrigo Dutra, cineclube Mate Com Angu
TV OLHO
Junho de 2019

TV OLHO é um documentário em plano-sequência que conta a história da primeira Tv Comunitária do Brasil. Surgida em 1981 foi veiculada através de um telão com projetor e televisores montados em uma cabine de metal na Praça do Relógio, no centro da cidade de Duque de Caxias, região da Baixada Fluminense no Rio de Janeiro.

1962 o ano do saque, rodrigo dutra, godo quincas
1962 ANO DO SAQUE
Maio de 2014

Em 1962 as forças conservadoras contra o presidente Jango criavam um clima instabilidade no país. Além da crise política faltava aos brasileiros produtos elementares como o arroz, açúcar e feijão. Em meio a este cenário aconteceu, principalmente em Duque de Caxias, um dos maiores saques populares que se tem notícia na história do Brasil no século XX.

Angu Tv, Mate com Angu, cineasta rodrigo dutra
SÉRIE ANGUTV!
Março a Outubro de 2007

AnguTv! é grito de basta! 

Em 2007 alguns amigos frequentadores do Cineclube Mate Com Angu se uniram com essa idéia na cabeça e uma camerazinha na mão, reclamando do sistema através da telona, usando a revolta como megafone para entender os problemas do dia-a-dia.

PRÊMIOS

FESTIVAL ARQUIVO EM CARTAZ

FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE ARQUIVO

2020

MELHOR FILME CURTAMETRAGEM

Joãosinho da Goméa - O Rei do Candomblé. Categoria Curtametragem. Melhor Filme

3 MARGENS FESTIVAL

LATINO AMERICANO

DE CINEMA

2020

PRÊMIO CTAV

Joãosinho da Goméa - O Rei do Candomblé. 

Prêmio CTAV

27º FESTIVAL

DE CINEMA DE VITÓRIA 

2020

MENÇÃO HONROSA

Joãosinho da Goméa - O Rei do Candomblé. 7º  Mostra Outros Olhares. Menção Honrosa

5º CINE TAMOIO

FESTIVAL DE CINEMA 

2020

MENÇÃO HONROSA

Joãosinho da Goméa - O Rei do Candomblé. Festival de Cinema de São Gonçalo/RJ. Menção Honrosa

FEST CURTAS

FUNDAJ

2020

PRÊMIO DO PÚBLICO

1º Festival Nacional de Curtas do Cinema da Fundação. Prêmio do Público

FESTIVAL VER CINE

2019

MELHOR DOCUMENTÁRIO

TV Olho. Mostra Panorama Nacional. Melhor Documentário

FESTIVAL IGUACINE

2015

MENÇÃO HONROSA

1962 O Ano do Saque

IV Iguacine

FÓRUM 

CULTURAL

2014

PERSONALIDADE AUDIOVISUAL

Fórum Cultural da Baixada Fluminense

Personalidade Audiovisual

ANGU DE OURO

2011

PRÊMIO ESPECIAL

O Vento Forte do levante

Prêmio Especial Mate Com Angu

MEDALHA MACIEL

2019

CONJUNTO DA OBRA

Medalha Francisco Carlos Maciel. 

Câmara Municipal de Duque de Caxias

FEST

CINE

2015

MENÇÃO HONROSA

1962 O Ano do Saque

Melhor Filme e Melhor Roteiro

MUOVANO LA MONTAGNA

2012

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Sopra la Città. Sotto la Montagna

I Giovani Muovano La Montagna. Itália

RE

CINE

2011

MELHOR FILME DE OFICINA

Coturnos e Bicicletas

Melhor Filme de Oficina

INDIAN FESTIVAL

2018

MELHOR DIRETOR

TV Olho. 6ª Indian Cine Filme Festival

 Best Director

 FESTIVAL

ON-LINE

2014

MELHOR DOCUMENTÁRIO

1962 O Ano do Saque

I Festival de Cinema On-Line

CINE

CUFA

2011

MELHOR DOCUMENTÁRIO

O Vento Forte do levante

 Melhor Documentário

RODRIGO DUTRA

O CINEASTA

cineasta rodrigo dutra
RODRIGO DUTRA

Sou oriundo do Capivari, bairro pobre de Duque de Caxias/RJ, filho do caminhoneiro Dutra e da dona de casa Marina. Quem conhece a quebrada sabe que aqui a chapa é quente, o bagulho é doido e o processo é lento. A maioria dos moleques que jogavam bola comigo foram assassinados porque vendiam uma paradinha ou porque eram 157.

Lá eu sempre fui considerado playboy. Garoto branco, de escola particular local (pago com muito esforço). Havia privação financeira, mas nunca passamos fome. Diferente dos meus colegas de bairro tive alguns privilégios e o principal deles foi a possibilidade de sonhar.

Nunca pensei que me tornaria Cineasta, um trabalho tão difícil e considerado tão nobre para a nossa sociedade. Eu sabia que queria ser artista e desde a adolescência me dediquei ao teatro onde aprendi sobre Pirandello, Antonin Artaud, Boal, Haddad, Commedia Dell’art e tantos outros.

Não é fácil hoje, não era fácil nos anos 1990. Como viver na periferia e ao mesmo tempo consumir, aprender teatro e estudar na Martins Penna por exemplo? Eu me perguntava se aquilo era pra mim. Quantas vezes dormi na rua porque meu ônibus havia acabado, ou tinha que escolher entre o lanche ou a passagem. Não demorou muito e desisti de ser ator.

Depois disso trabalhei por um tempo com meu pai no caminhão dele, a “Joinha”. Foi ali vendo o seu esforço que compreendi a necessidade de fazer uma faculdade e não titubiei: História!

Foi a melhor decisão da minha vida! Comecei na modesta FEUDUC e terminei na conceituada UERJ. Quanto conhecimento! Quantos professores e trocas maravilhosas! Em pouco tempo de graduação eu já lecionava, já era o professor Rodrigo Dutra.

Nessa mesma época de virada do milênio e revolução digital, uma galera jovem começou um cineclube. Era o famoso, gostoso e potente cineclube Mate Com Angu. Talvez eu deva receber o título de frequentador mais assíduo deste lugar: vi muitas obras, conheci muitos produtores, me diverti e aprendi sobre filmes. Uma verdadeira escola!

De expectador com o tempo passei a realizador. Fundamos a AnguTV! e tomamos de assalto por 9 meses a tela do Mate exibindo nossos polêmicos e aclamados curtas (contra o gosto de uma minoria, verdade seja dita!). Foi ali que percebi que podia unir dois amores: Cinema e História. Passei a me apresentar como Historiasta!

De 2008 a 2011, produzi meu primeiro filme O VENTO FORTE DO LEVANTE. Foram quatro anos contando com equipamentos emprestados, carros de amigos, mão-de-obra militante e muita parceria, um genuíno cinema de guerrilha periférico! Esse filme me levou para África, me levou para Europa, abriu espaço em canal de TV. A partir dele passei a ser reconhecido como Cineasta.

Em 2012 deixei a sala de aula para me dedicar exclusivamente ao audiovisual. Tive a oportunidade de ir para a Itália estudar cinema, fiz Mestrado em Educação, Comunicação e Cultura na UERJ, fiz outros filmes de considerável repercussão.

Ajudei a fundar o Goméia Galpão Criativo, uma das iniciativas culturais mais relevantes da Baixada Fluminense  e pertenço ao Movimento Baixada Filma que está na luta pela implementação da primeira Faculdade de Cinema na Baixada (UERJ/FEBF).

Abri minha primeira produtora onde roteirizei e dirigi diversos vídeos para ONG`s, Sindicatos e Associações, além de dirigir tecnicamente muitas “lives”. 

Atualmente sou educador audiovisual do SESC RJ e toco a DUTRA FILMES, produtora que conta com uma equipe de colaboradores da Baixada Fluminense e a BF continua até hoje sendo meu território-mundo, meu lugar de fala e de afetos! Evoé!